sábado, 13 de fevereiro de 2016

Faça Sol ou Faça Chuva


No mercado 25 de Abril, ou mercado de Santo Amaro, todos os sábados, faça chuva ou faça sol, alinham-se os produtores com os seus hortícolas frescos e os produtos regionais.



Assim, todos os sábados, em Beja, junto à muralha do Castelo, estendendo-se entre o Largo de Santo Amaro e o Largo do Lidador, há encontro marcado entre vendedores e compradores, durante a manhã.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

IX Passeio TT Rota do Caldeirão 28-fev-2016

Concentração pelas 08h00, no quartel dos Bombeiros de S. Brás de Alportel Partida será pelas 09h00 Almoço “Volante” na serra do Caldeirão, entre as 11h00 e as 12h00 Chegada prevista para as 15h00, de seguida com “Lanche Ajantarado” / Jantar Convívio NOTA- Inscrições abertas até ao dia 26 de Fevereiro de 2016 Secção Desportiva Recreativa e Cultural da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de S. Brás de Alporte


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Diário do Alentejo Edição nº 1764

Editorial
Orçamento
Paulo Barriga

O Português é um especialista
nato. E variado.
É um bom entendedor
das coisas que o rodeiam, das
coisas que o afetam e, de forma
ainda mais profunda, das coisas
que nem o rodeiem ou afetem. O
Português é um perito encartado
em matérias tão díspares que podem
ir desde o mais complexo
processo de direito penal às boas
práticas digitais na condução automóvel.
Da alta finança à baixa
política, passando a meio pelo futebol.
Das grandes questões que
acometem o mundo e a humanidade
à evidente falta de jeito conjugal
do vizinho do 6.º B. À sua
vastíssima galeria de virtudes e de
aptidões naturais para o comentário
e para o botar de opinião, juntou
agora o Português uma nova
disciplina: o “orçamento”. Corrijo,
o enamoramento do Português
face ao “orçamento” não é bem de
agora. Suponho que o Português
se tenha dado conta da existência
de um “orçamento” para governar
o País, no exato instante em
que deixou de haver “orçamento”.
Restarão, por certo, poucas exultações
para memória futura sobre
a passagem da troika por
Portugal. Mas ninguém poderá
negar que, com ela, o Português
ficou muito mais versado no que
toca ao “orçamento”. E toda essa
instrução está a vir agora ao de
cima, neste tempo de novo “orçamento”
e, claro, de grande entusiasmo
para os especialistas.
Que é como quem diz, para o
Português. Na verdade, ainda não
deu para perceber lá muito bem
se o “orçamento”, este, puxa mais
para cá se para lá, se é mais amigo
ou mais torcido, se é mais austero
ou se prima pela brandura, se traz
mais dinheiro para a economia
ou se exige mais economia de dinheiro.
Mas o Português, provenha
ele da mais épica canhota ou
da mais alta direita, já tem a sua
opinião formada e bem formada
e ao detalhe da argumentação. O
que não deixa de ser algo incomodativo.
Principalmente para
quem tiver necessidade de abastecer
em bombas de gasolina self-
-service. E tiver o azar de o fazer
em determinadas alturas do dia.
Aquelas em que o Português especialista
em “orçamento” gosta de
ir tomar a bica e discorrer sobre
as notícias dos jornais que lá estão
expostos para venda, mas que
o Português não compra nem lê.
Sim, dizem que os impostos sobre
os combustíveis vão crescer com o
presente “orçamento”. Mas o que
deveria mesmo ficar pela hora da
morte era a venda de cafezinhos
nas bombas de gasolina. Esse tique
estranhíssimo, contranatura,
que é tão irritante como qualquer
outra das múltiplas especialidades
do Português. As orçamentais,
por exemplo.

As Ervas da Baronia - Alvito 11 a 14 fev 2016

Pratos à base de catacuzes, espargos e carrasquinhas, ervas típicas e usadas na cozinha do Alentejo, "abrem o apetite", desde hoje e até domingo, nos restaurantes do concelho de Alvito, no distrito de Beja.

A iniciativa faz parte do ciclo "As Ervas da Baronia", que visa promover a gastronomia alentejana à base de ervas típicas da região e dinamizar o setor da restauração e a economia do concelho e este ano "convoca as memórias dos sabores da infância", explicou o município.




Migas de espargos com carne de alguidar, açorda de catacuzes com queijo de cabra, feijão com carrasquinhas e carne de porco ou catacuzes e carapaus fritos, puré de espargos com bochechas e rissóis de espargos com farinheira e arroz de catacuzes são alguns dos pratos que vão poder ser degustados nos restaurantes aderentes.

Promovido pelo município, o evento, a decorrer em restaurantes de Alvito e da freguesia de Vila Nova de Baronia, inclui a palestra "As Ervas de Comer na Dieta Mediterrânica", que vai decorrer na sexta-feira, a partir das 10:00, no Centro Cultural Raul de Carvalho.

A palestra vai incluir intervenções sobre a importância das ervas de comer na saúde e na cozinha tradicional alentejana e o valor turístico da gastronomia regional e evocar memórias e tradições locais relativas à confeção de catacuzes, espargos e carrasquinhas, através de "testemunhos e partilha de conhecimentos de outros tempos".

O ciclo "As Ervas da Baronia" é composto por três eventos gastronómicos ao longo do ano, o primeiro em fevereiro, dedicado a catacuzes, espargos e carrasquinhas, o segundo em junho, destacando as beldroegas, e o terceiro em outubro, dedicado a poejos, coentros e hortelãs.

Açucareiro




A adoçar as nossas vidas há mais de 50 anos!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

XII CAMPEONATO NACIONAL DE JOGOS MATEMÁTICOS - Beja - 4 março 2016

A Associação Ludus, a Associação de Professores de Matemática, a Sociedade Portuguesa de Matemática e a Ciência Viva, promovem anualmente, desde 2004, o CAMPEONATO NACIONAL DE JOGOS MATEMÁTICOS. 

Neste ano letivo, decorre a 12º Edição do campeonato nacional de Jogos Matemáticos (CNJN12) e a final terá lugar no dia 04 de março de 2016,na Arena Multiusos do Parque de Feiras e Exposições, em Beja.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Baile de Carnaval em Beja 6 fev 2016


Diário do Alentejo Edição 1763


Editorial
Livros
Paulo Barriga

No final de janeiro foi apresentada
em Beja, na biblioteca
pública, uma nova associação
dedicada aos escritores do
Alentejo. Chama-se Assesta. A ideia
primordial da coletividade passa
pela promoção e divulgação dos autores
locais e das suas obras, não
apenas no seu território de origem,
como para além dele. É boa e valiosa
a ideia. Que lhe não falte sucesso
e uma longa existência. Durante a
sessão de apresentação pública da
Assesta, entre variados intervenientes,
falou o Professor Galopim
de Carvalho. Sim, esse mesmo a
quem com carinho o povo ofereceu
a alcunha de “avô dos dinossauros”.
Galopim de Carvalho é, por certo,
um dos mais conceituados cientistas
portugueses vivos. Geólogo de
formação, paleontólogo de coração,
divulgador e defensor do património
natural, cultural e científico
por convicção.Galopim de
Carvalho, sobretudo na década de
1990, também se dedicou à ficção
literária. E por isso mesmo terá sido
convidado para dizer algumas palavras
no lançamento da Associação
dos Escritores do Alentejo. Aos 84
anos de idade, o que anima verdadeiramente
Galopim de Carvalho?
Os computadores, a Internet, o
Facebook e, acima de tudo, a possibilidade
de escrever a cada instante
e de, nesse preciso instante,
poder contar com algum leitor ocasional
algures achado no ciberespaço.
“Quando estou ao pé do computador
as horas passam de outra
forma, fico mais animado, mais feliz”.
Se não foi bem com estas palavras,
foi pelo menos esta a lição de
sabedoria que Galopim de Carvalho
deixou para justificar o facto de não
achar nada importante nem necessário
editar hoje livros em papel.
Coisa que, no que toca à literatura,
o próprio deixou de fazer há mais
de 10 anos. O que levanta uma série
de questões interessantes. Por que
razão proliferam com sucesso as
editoras “alsa drink” no tempo em
que a escrita está democratizada
nos meios eletrónicos? Qual a necessidade
de um qualquer novo autor
associar o seu nome a editoras
que por si são sinónimo de chungaria?
Para quê editar tantos preparados
instantâneos quando o mercado
livreiro está saturado e em
crise? E quando os leitores são cada
vez mais uma exótica e esquisita
minoria? Antes, pela raridade do
momento, quando alguém editava
um livro, caso já tivesse um filho,
dizia-se que só lhe faltava plantar
uma árvore para atingir a realização
total. Hoje, a parte difícil do teorema
está mesmo ao nível de conceber
criancinhas.
Lebrinha Uma familiar de um dos
antigos sócios-gerentes do Lebrinha
informou-nos que esta mítica cervejaria
de Serpa não está falida,
mas antes em processo de venda,
e que abrirá com nova gerência no
mais breve espaço de tempo.

Beja ao Fim do Dia


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Geração à Rasca - A Nossa Culpa



Um dia, isto tinha de acontecer.

Existe uma geração à rasca? 


Existe mais do que uma! 


Certamente! 






Está à rasca a geração dos pais que educaram os seus meninos numa abastança caprichosa, protegendo-os de dificuldades e escondendo-lhes as agruras da vida.
Está à rasca a geração dos filhos que nunca foram ensinados a lidar com frustrações.
A ironia de tudo isto é que os jovens que agora se dizem (e também estão) à rasca são os que mais tiveram tudo. 
Nunca nenhuma geração foi, como esta, tão privilegiada na sua infância e na sua adolescência. E nunca a sociedade exigiu tão pouco aos seus jovens como lhes tem sido exigido nos últimos anos.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

The Best Ballads Of Phil Collins - Again - 2016

O Melhor Amigo


II Semana Gastronómica do Queijo - Serpa - 5 a 14 de fevereiro


Toda a informação Aqui.

Carnaval Almodôvar 2016


ENTRUDO VIDIGUEIRA 2016


No próximo dia 7 de Fevereiro, a Câmara Municipal de Vidigueira vai organizar o já tradicional desfile de Carnaval com a participação de escolas, clubes, associações, outros grupos organizados e foliões individuais.

Consulte o programa, o regulamento, a ficha de inscrição e outras informações relativas ao Entrudo’16 Vidigueira AQUI.

Carnaval Cuba 2016



O Tema central para o Corso de 2016 é a "Música"
Constitui uma das apostas mais fortes do Município, com o intuito de promover turisticamente o concelho e dinamizar a economia local. A pouco mais de um mês do Carnaval, a Câmara Municipal de Cuba encontra-se agora a receber inscrições - até dia 02 de fevereiro - para o Corso Carnavalesco que se realiza no dia 09 de fevereiro, pelas 14h30, e que este ano tem a “Música” como tema central.

Como já vem sendo hábito, o corso percorrerá as principais artérias da vila e finaliza com um Baile de Máscaras, pelas 17h30.

Corso volta a ter "Convidada Especial"Tal como na edição anterior, para 2016 também já temos confirmada a participação especial do Corso Carnavalesco de Cuba, que este ano será a cantora portuguesa Micaela.