sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Andebol - Sábado Z.Azul recebe o Benfica B às 18:00h do Pav. Stª. Maria


Diário do Alentejo Edição 1817

Editorial
Beato
Paulo Barriga

O que o povo ria com eles.
No tempo em que o
Portugal remendado tinha
de se pôr em bicos dos pés para
xeretar para dentro da Europa,
vulgo CEE, a mulher de um taxista
falido descobria a solução para os
problemas financeiros da família,
do bairro e até do País. Ao colher
uma alface que havia disposto
no saguão do prédio, a extremosa
dona de casa depara-se com um
acontecimento invulgar: um jorro
de petróleo. Raul Solnado, como
só e apenas ele conseguia, expunha
ao ridículo, mais uma vez, as
misérias do bom povo numa paródia
televisiva que viria a marcar
não apenas a sua carreira, como
todo uma época política e social
em Portugal. “Há petróleo no
Beato” assinalava, ou era suposto,
o começo da era das vacas gordas
no País dos “magriços”. O tempo
da milagrosa e inesgotável jazida
de Bruxelas que supostamente jamais
cessaria de brotar divisas e
abastanças. O tempo da ilusão. Eis
se não quando, passadas mais de
três décadas, volta a jorrar petróleo
no Beato. Que é como quem diz,
em tudo quanto é recanto de areia
neste jardim à beira-mar plantado.
A grande diferença entre os novos
prospetores de hidrocarbonetos e
a mulher do taxista Solnado é esta
e apenas uma: ela tinha mesmo
muita piada. Eles, piada nenhuma.
Quanto ao resto, não se podem deixar
de observar assinaláveis semelhanças
quanto ao argumento e,
acima de tudo, quanto à fantasia
que se pretende criar em torno das
risíveis potencialidades petrolíferas
do País. Ao todo, foram já autorizadas
e efetivamente realizadas
174 prospeções de ouro negro
em Portugal. Junto ao litoral, claro.
Em nenhuma delas, escusado será
dizer, se encontraram concentrações
de petróleo que dessem sequer
para mandar cantar um cego
à porta da igreja do Beato. Assim
mesmo, a corrida continua ao rubro.
Tentou-se o Algarve na certeza
de que a grande indústria do
turismo já ali instalada iria rechaçar
com veemência tamanha ousadia.
Mas a encenação estava
montada e era fundamental para
atacar a costa alentejana à grande
e à francesa. Fazer aprovar concessões
para a pesquisa e exploração
de petróleo ao largo do Parque
Natural do Sudoeste Alentejano
e Costa Vicentina não é propriamente
inteligente do ponto de vista
restrito da indústria extrativa. Mas
abrir exceções ao nível do licenciamento
pesado numa área protegida
e de grande sensibilidade
natural é algo que aguça o apetite
a muita gente, há tanto tempo. E
é este chico-espertismo nacional
que Raul Solnado tão bem caricaturava,
mas que, nesta encenação
particular e com estes comediantes
em concreto, não dá mesmo nenhuma
vontadinha de rir.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Diário do Alentejo Edição nº 1815


Editorial
Semanário
Paulo Barriga

É provável que a esmagadora
maioria dos leitores
do “Diário do Alentejo”
disso já não tenha memória ou
que, ainda mais provável, nunca
se tenha apercebido sequer dessa
pequena, embora grande, iniciativa.
Em janeiro de 2011, com direito
a nota editorial e tudo, tomámos
a liberdade de retirar do
cabeçalho do nosso jornal a legenda
“Semanário Regionalista
Independente”, que lá esteve desde
os anos 1980. Na ocasião, algumas
pessoas, não muitas, classificaram
o ato de provocatório e até
houve quem o considerasse inadmissível,
porque em contradição
com o próprio código genético do
jornal. No entanto, foi nosso entendimento
que, àquela data, não
éramos merecedores dos títulos
que exibíamos na primeira página.
Achámos que era enganador
andarmos a autorrotular-nos
de “regionalistas”, quando o jornal
já pouco ou nada espreitava
para lá da praça central da cidade
de Beja. E que era muito pouco
ético, para não dizer herético, ostentar
o título de “independente”,
quando eram recorrentes e públicos
os combates políticos pelo
seu controlo e quando as tentativas
(algumas delas conseguidas)
de manipulação dos seus conteúdos
se sucediam. Mas abolir,
ainda que temporariamente, a legenda
“Semanário Regionalista
Independente”, não resultou apenas
numa ação repositória da decência
jornalística e da verdade
perante os nossos leitores. Foi, antes
de tudo, uma espécie de programa
ou de manifesto editorial
que assumimos nos seis anos que
se seguiram. Até hoje. Um caminho
considerável, ao longo do qual
estabelecemos o compromisso de
regressarmos para junto das pessoas,
de defendermos a nossa cultura
na sua multiplicidade, de
promovermos o mérito em vez
da desgraça, de darmos voz a este
território, na integra. Nesta caminhada,
movida nem sempre
em terrenos planos, somos chegados
à altura em que decidimos
republicar a legenda “Semanário
Regionalista Independente”. Não
apenas porque hoje nos achamos,
por fim, no pleno direito do seu
usufruto, mas também porque os
tempos assim o exigem. Numa altura
em que se avizinham eleições
para os órgãos locais e a tentação
se agudiza e num quadro político-
-governamental em que o dossiê
das regiões administrativas foi de
novo lançado para a valeta, nada
como reerguer as bandeiras da independência
e da regionalização.
Principalmente nas páginas deste
que é o dos poucos diários do
mundo que, afinal, é semanário.

Encontro de Jogos de Tabuleiro - Beja - Casa da Cultura


Este sábado dia 11 decorre na BDTeca da Casa da Cultura a partir das 14:30 um novo Encontro de Jogos de Tabuleiro aberto ao publico. Neste encontro serão jogados e ensinados inúmeros jogos de tabuleiro moderno, a nova geração de jogos de tabuleiro que está neste momento e cada vez mais a transformar-se numa sensação mundial. Por isso se têm curiosidade em experimentar este tipo de jogos apareçam já que a entrada é totalmente gratuita, não precisam de ter jogos nem de os saber jogar nós tratamos disso, apenas apareçam para se divertir e conviver.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

35ª Volta ao Alentejo - Passagem por Beja na 3ª Etapa dia 24, com Meta Volante



3ª Etapa  Mourão / Mértola - 208 kms
24.02.2017 - Sexta-feira 


Percurso dentro da cidade e Meta Volante


3ª Etapa Mourão / Mértola - 208 kms
Percurso e Horários





40 km/h   42 km/h  
Concentração/Rassemblement: Mourão - Praça da República
                                           
09:30 09:30
Partida Simbólica / Départ Fictif: Mourão - Praça da República

10:50 10:50
Em frente p/ Rua General Humberto Delgado
Em frente p/ Rua Dr. Libano Esquivel
Rotunda à dta. p/ Amareleja, R385

179 Partida Real / Départ Réel: N385
0 208 11:00 11:00
170 Ponte s/ Ribeira de Alcarrache 3 205 11:04 11:04
194 Separadores à esq. p/ Granja - Adega 5 203 11:07 11:07
171 À dta. p/ Granja 5,8 202,2 11:08 11:08
172 À esq. p/ Rua Joaquim António de Castro 7,6 200,4 11:11 11:10
173 À dta. p/ Rua Direita 8,3 199,7 11:12 11:11
180 Em frente p/ Rua da Corredoura 8,5 199,5 11:12 11:12
187 À esq. p/ Amareleja - Moura, N385 8,9 199,1 11:13 11:12
230 Concelho de Moura 12,2 195,8 11:18 11:17
209 Amareleja - rotunda à dta. p/ Ficalho - Moura, R386 18,7 189,3 11:28 11:26
213 Póvoa de S. Miguel 29,2 178,8 11:43 11:41
104 Cruzamento à esq. p/ Moura, N255 40,6 167,4 12:00 11:58
127 Moura 43,9 164,1 12:05 12:02
169 Cruzamento em frente p/ Rua de Sequeiro 45,2 162,8 12:07 12:04
171 À esq. p/ Rua do Matadouro 45,3 162,7 12:07 12:04
177 Cruzamento à esq. p/ Serpa - Av. dos Bombeiros Voluntários 45,6 162,4 12:08 12:05
184 Pela dta. (junto ao Tribunal), N255 46 162 12:09 12:05
186 Meta Volante - Moura (Largo S. Francisco) 46,1 161,9 12:09 12:05
201 Rotunda em frente p/ Pias - Serpa - Beja, N255 46,7 161,3 12:10 12:06
208 Concelho de Serpa 51,7 156,3 12:17 12:13
192 Ponte / Barragem, N255 56,7 151,3 12:25 12:21
209 Pias 59,9 148,1 12:29 12:25
212 À dta. p/ Serpa, N255 60,9 147,1 12:31 12:27
218  Passagem de nível desativada / Passage à niveau désactive 61,3 146,7 12:31 12:27
165 Ponte s/ Ribeira de Morgadinha 71 137 12:46 12:41
175 Cruzamento à esq. p/ Ficalho - Mértola, N260 74,7 133,3 12:52 12:46
220 À dta. p/ Serpa - Serpa (placa) 76,6 131,4 12:54 12:49
225 Rotunda em frente - Av. N. Sra. de Guadalupe 77,2 130,8 12:55 12:50
225 Rotunda à esq. p/ Circular Interna de Serpa 77,6 130,4 12:56 12:50
219 Rotunda (Ovelhas) em frente p/ Av. Capitães de Abril 78,1 129,9 12:57 12:51
212 Rotunda em frente p/ Circular Interna de Serpa 78,5 129,5 12:57 12:52
212 Rotunda em frente p/ Circular Interna de Serpa 78,8 129,2 12:58 12:52
210 Rotunda em frente p/ Circular Interna de Serpa 79,2 128,8 12:58 12:53
189 Rotunda à esq. p/ Beja - Lisboa 79,8 128,2 12:59 12:54
170 Cruzamento à esq. p/ Beja - Lisboa, N260 80,6 127,4 13:00 12:55
108 Ponte s/ Rio Guadiana 85,9 122,1 13:08 13:02
208 Rotunda (Bairro da Boa Esperança) à esq. p/ Beja - Rua D. Afonso III 104,9 103,1 13:37 13:29
214 Rotunda (BP) em frente p/ centro - Rua D. Afonso III 105,4 102,6 13:38 13:30
236 Ponte s/ Lina Férrea - à dta. Rua D. Afonso III 106 102 13:39 13:31
242 Rotunda à esq. p/ Rua Pedro Vitor 106,1 101,9 13:39 13:31
242 Rotunda à esq. p/ Rua Pedro Vitor 106,2 101,8 13:39 13:31
274 Meta Volante - Beja (Rua Dom Frei Manuel do Cenáculo)

106,4 101,6 13:39 13:32
275 À esq. p/ Rua D. Afonso Henriques 106,5 101,5 13:39 13:32
269 Rotunda em frente p/ Rua D. Francisco Lobo 106,7 101,3 13:40 13:32
263 Rotunda (Pingo Doce) em frente p/ Rua Escritor Ferreira de Castro 107 101 13:40 13:32
263 Cruzamento em frente p/ Rua Bernardo Santareno 107,3 100,7 13:40 13:33
261 Rua Manuel Joaquim Delgado - Rua T. Cor. Salgueiro Maia                                   Inicio de Abastecimento / Ouverture du Ravitaillement 107,7 100,3 13:41 13:33
269 Rotunda (Galp) à esq. p/ Av. Fialho de Almeida 108,3 99,7 13:42 13:34
259 Rotunda em frente p/ Évora - IP2 108,8 99,2 13:43 13:35
243 Rotunda à esq. p/ Aljustrel, N18 109,9 98,1 13:44 13:37
216 Penedo Gordo 114,1 93,9 13:51 13:43
166 Santa Vitória 124,6 83,4 14:06 13:58
161 Concelho de Aljustrel 127,3 80,7 14:10 14:01
168 Cruzamento à esq. p/ Aljustrel, N2 (Ervidel) 130 78 14:15 14:05
124 Ponte 140,4 67,6 14:30 14:20
162 À dta. p/ Aljustrel (centro) - Rua de Beja 142,3 65,7 14:33 14:23
186 À esq. p/ Rua de Olivença 143,5 64,5 14:35 14:25
171 Rotunda em frente p/ Rua de Olivença 143,8 64,2 14:35 14:25
165 Rotunda (da Locomotiva) em frente p/ Castro Verde, N2 144,5 63,5 14:36 14:26
179 Separadores (Terminal Ferroviário) em frente p/ Castro Verde 151,5 56,5 14:47 14:36
209 Concelho de Castro Verde 155,4 52,6 14:53 14:42
238 Separadores em frente - Castro Verde (placa) 164,9 43,1 15:07 14:55
248 Rotunda em frente - Rua da Seara Nova 165,1 42,9 15:07 14:55
250 Meta Volante - Castro Verde (junto BV Castro Verde) 165,5 42,5 15:08 14:56
250 Rotunda à esq. p/ Mértola - Rua das Orquídeas 165,6 42,4 15:08 14:56
247 Rotunda em frente p/ Mértola, N123 165,8 42,2 15:08 14:56
242 Rotunda em frente p/ Mértola, N123 166,1 41,9 15:09 14:57
212 Separadores (Geraldos) em frente p/ Mértola 168,1 39,9 15:12 15:00
205 Separadores (Sta. Bárbara) em frente p/ Mértola, N123 175,3 32,7 15:22 15:10
183 Separadores (S. Marcos) em frente p/ Mértola, N123 178,6 29,4 15:27 15:15
214 Concelho de Mértola 183,9 24,1 15:35 15:22
193 Separadores (S. João) em frente p/ Mértola 186 22 15:39 15:25
172 Separadores (Alcaria Ruiva) em frente p/ Mértola 193 15 15:49 15:35
181 Cruzamento à dta. p/ Mértola, N122 196,5 11,5 15:54 15:40
78 Mértola (placa) 206,6 1,4 16:09 15:55
58 Em frente p/ rotunda (contra mão!) p/ Av. Aureliano Fernandes  (contra mão!) 207,4 0,6 16:11 15:56
59 À esq. p/ Rua José carlos Ary dos Santos 207,8 0,2 16:11 15:56
75 Meta Final / Arrivée:  Mértola - Rua José Carlos Ary dos Santos 208 0 16:12 15:57